Dois Mamões

 

Quando saímos em missão, nossas frutas nunca dão até o fim, por não ter como guarda-las devidamente. Se acabam, ou se estragam lá pelo 12° dia de viagem.

Estávamos perto do 15° dia em missão quando conversamos entre nós dentro da Luzeiro que estávamos com vontade de comer umas frutas.

Dona Juracy, durante a semana, já havia passado por consulta com a Kathé e agora estava sentada esperando sua filha sair do exame citológico, foi quando me sentei ao lado dela e conversamos de muitas coisas…

Entre tantos assuntos, ela perguntou se não tínhamos nenhum médico de vistas, pois ela já não enxergava tão bem e “pelejava” para ler sua Bíblia e não conseguia.

O Espírito de Deus logo arquitetou na minha mente uma forma de amenizar a dificuldade dela…

” Ei dona Juracy, nós não temos um oftalmologista pra reparar seu problema de vista, mas se é ler a Bíblia que tu tanto quer, eu posso lhe ajudar. Onde tu mora que vou lá te visitar!”

No dia seguinte fomos até a casa dela, mas ela tinha saído pra casa de farinha, voltei mais tarde e nada dela chegar. Deixei então uma Bíblia de letras grandes com a filha dela.

No dia seguinte e lá estava ela cuidando dos netos…

“Eaí dona Juracy, serviu?”

“E como serviu, já estou conseguindo ler a Bíblia novamente. É o melhor presente que se pode ganhar!”

Como forma de agradecimento ganhei dois mamãos, que pode parecer pouco para muitos, mas para nós mostrou cuidado de Deus por nós, ao nos mandar frutas mesmo antes de pedir!

 
 

Sobre o Autor
Fernando Silvestre é natural de São Paulo/SP, e é o comandante da lancha Luzeiro XXX, que trabalha no município de Carauari, no rio Juruá.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *